Prefeitura e Secima discutem Mobilidade Urbana em Aparecida de Goiânia

Prefeitura e Secima discutem Mobilidade Urbana em Aparecida de Goiânia
Photo Credit To Ênio Medeiros

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, participou na manhã desta quinta-feira, 07, da 3ª Reunião Temática do Plano de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Goiânia (PDI-RMG), promovida pela Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos do Estado de Goiás (Secima).

O encontro foi realizado no Auditório do Aparecida Prev, no setor Célia Maria. Representantes do poder público, técnicos da Universidade Federal de Goiás (UFG) e comunidade discutiram propostas e políticas públicas que favoreçam os transportes individuais e coletivos na Região Metropolitana de Goiânia.

De acordo com o Superintendente Executivo da Secima, Marcelo Safadi, já foram realizadas 19 oficinas como esta em outros municípios. “Cada município procura agir de sua maneira. A tendência, se não trabalharmos em conjunto, é o não atendimento às determinações da Lei Federal de Mobilidade.

E para reverter essa situação, foi elaborado o Plano de Desenvolvimento para identificar as necessidades, encontrar as soluções e buscar a concretização das melhorias. Hoje o debate traz os principais problemas enfrentados na mobilidade urbana da Região Metropolitana e elaboração das propostas sobre o assunto e a discussão é longa, mas quando se agrupa ideias se obtém um melhor resultado. A tendência do cenário atual é de aprofundar a desarticulação municipal, desatualização e defasagem na mobilidade” – salientou o superintendente.

De acordo com Safadi, o objetivo de trazer o debate para Aparecida é o de que o município é um dos que mais possuem problemas no transporte e mobilidade em decorrência de sua expansão acelerada nos anos anteriores.

Para ele, parte do desenvolvimento viário de Goiânia depende do sistema viário de Aparecida. “Os próprios índices de desenvolvimento da cidade, a particularidade em sua forma de gestão e os projetos que estão no radar da Prefeitura são motivos suficientes para a Secima implementar o Plano com soluções inovadoras acompanhando esse linear de crescimento do município.

Além disso, temos um ponto a mais, pois o prefeito Gustavo é o presidente  Conselho Deliberativo do Transporte Coletivo (CDTC)”, completou.

Transporte Urbano

Na ocasião, a arquiteta especialista em Mobilidade e Transporte Urbano, Érica Cristine Kneib, apresentou algumas propostas para melhorias no transporte urbano. “O cenário desejado é una infraestrutura adequada, com investimento público que permite a melhoria da qualidade do serviço e uma tarifa acessível ao usuário. Para o Transporte Individual Motorizado, o desejado é um trânsito bem planejado e gerido de forma articulada, com infraestrutura viária compatível e com fiscalização efetiva, visando a segurança e redução de acidentes. No geral, precisa-se de uma Região Metropolitana equilibrada e conectada, baseada em princípios de sustentabilidade, com desenvolvimento orientado ao transporte público coletivo, a partir da priorização dos modos” – explicou a especialista.

Durante a reunião, o prefeito Gustavo Mendanha destacou a importância do Plano de Desenvolvimento da Secima para a Região Metropolitana e apresentou aos especialistas o Plano Diretor da cidade. “O novo Plano, que foi desenvolvido na administração do ex-prefeito Maguito Vilela em parceria com o Governo Estadual e teve participação de toda a sociedade, projeta a cidade para os próximos 10 anos. Durante o processo de elaboração, a cidade foi totalmente repensada, com diversas alterações na legislação, justamente para pensar o desenvolvimento futuro de Aparecida, o fortalecimento de sua economia, a continuidade de seu projeto de mobilidade e estamos começando a colocá-lo em prática. Pois o desenvolvimento tem que ser estratégico e pensado e é isso que está sendo feito”, frisou o prefeito.

Ao final das cinco reuniões temáticas com temas como o Meio ambiente, Desenvolvimento Urbano, Mobilidade Urbana, Desenvolvimento Socioeconômico e Gestão e Governança será elaborada uma agenda pontual a ser cumprida por todos os parceiros, incluindo governo, prefeituras, UFG, entidades e demais atores envolvidos na elaboração do Plano com sugestões e soluções para todos os gargalos da Região Metropolitana, focando na melhoria da governança e da qualidade de vida dos cidadãos. A primeira fase do processo foi o levantamento do diagnóstico e as próximas fases consistem na realização da segunda audiência para se discutir a metodologia, forma e diretrizes do Plano e na terceira audiência será discutido o texto da Lei a ser encaminhado e votado na Assembleia Legislativa de Goiás.

Fonte: Ascom Aparecida

Deixar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *